{"subsource":"done_button","uid":"8EEEDFED-8D2E-4A38-B50D-4E07532C8DF2_1611943471268","source":"other","origin":"gallery","source_sid":"8EEEDFED-8D2E-4A38-B50D-4E07532C8DF2_1611943471273"}

Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolecência

Instituída pela Lei nº 13.798/2.019, a data tem o objetivo de pulverizar de forma mais abrangente o acesso a informação sobre prevenção e os riscos de uma gravidez precoce.

Os jovens em idade de 10 a 20 anos, representam 20% a 30%. da população mundial. Uma gestação precoce além de agravar problemas sociais, segundo a OMS trata-se de um fator que agrava a prevalência de riscos tanto para a mãe quanto para o feto.

A gravidez na adolescência no Brasil atinge anualmente 400 mil jovens, um número significativo e preocupante.

Alguns dos fatores que influenciam na elevação desses números são:

  • Emocionais;
  • Psicossociais;
  • Contextuais

Em muitos casos a falta de acesso ao sistema de saúde e consequentemente a programas de proteção social e também a desinformação sobre a sexualidade são os fatores mais importantes.

A diminuição da incidência de jovens que se tornam mães precocemente depende da união entre família, escola e sociedade.

Fonte: bvsms.saude.gov.br

Siga nossa página no Intagram oncologmedicamentos

Deixe um comentário