Atenção ao Paciente

É de suma importância a atenção farmacêutica nesses pacientes, pois alguns tipos de câncer são tratados por um longo período. Esse tratamento, isoladamente, já demanda muitos medicamentos, e em alguns casos, os pacientes têm doenças concomitantes (diabetes, depressão, hipertensão) que fazem com que se utilize ainda mais medicamentos, denominada polifarmácia”,.
Nesse momento, o farmacêutico, com sua formação humanística, pode exercer a prática da atenção farmacêutica para diminuir as dificuldades do paciente em relação aos medicamentos.
As principais práticas da atenção farmacêutica estão relacionadas a colaborar para a solução dos Problemas Relacionados com os Medicamentos (PRMs) que surgem devido ao mecanismo de ação dos oncológicos (anemias, náuseas e vômitos, fraqueza, dores musculares, entre outras).
O farmacêutico é o profissional responsável por essa avaliação e intervenção junto à equipe médica.
A manipulação desses medicamentos é privativa do farmacêutico e exige área física apropriada de acordo com as normas sanitárias da Anvisa e profissionais do CFF. Como se tratam de medicamentos com elevado índice de reações adversas e efeitos colaterais, é fundamental um acompanhamento farmacêutico clínico – questão reforçada pela Lei Federal 13.021/2014. “Esses medicamentos não podem ser dispensados no varejo, pois são de uso exclusivo clínico e hospitalar, quase sempre exigindo diluições que requerem fluxo laminar e paramentação dos manipuladores. Mesmo os medicamentos orais exigem cuidados especiais no armazenamento e na dispensação, além de uma rigorosa orientação aos pacientes”.
No quesito importância do farmacêutico nesse contexto, o Presidente da SBrafh e conselheiro do CFF é enfático: “O farmacêutico tem um papel fundamental no levantamento das medicações que o paciente utiliza de forma rotineira, na análise das interações medicamentosas e, o mais importante, avaliando eventos adversos e garantindo a adesão do paciente ao tratamento”.
A atenção humanizada é importante em todas as áreas do cuidado à saúde e é de fundamental importância em doenças graves, como o câncer, em que os pacientes estão mais fragilizados.
Fonte ICQT

Deixe um comentário